28.04

Recentemente, Phoebe concedeu uma entrevista ao site Green + Simple, onde ela fala sobre feminismo, ativismo, política, vida pessoal e muito mais. Confira abaixo, a matéria traduzida:

Da mudança climática ao feminismo, porque nós amamos essa atriz australiana

Phoebe Tonkin é como um sopro de ar fresco. Com sua pele de porcelana e estrutura esbelta, ela é a epítome da beleza natural, mas há muito mais nessa atriz australiana que é difícil saber por onde começar. Nós conversamos com Phoebe durante sua recente visita a Austrália, onde ela foi agradavelmente aberta e honesta sobre questões que ela se importa. Dos direitos humanos ao feminismo, sua postura sobre a mudança climática e política dos EUA, foi certamente um afastamento da entrevista medíocre de celebridades.

Mas o que realmente eleva Phoebe, baseada em Los Angeles, é a maneira como ela não teve medo de usar sua influência para inspirar a ação.

“Se você vive nesta terra, acho que é nossa responsabilidade garantir que ela ainda esteja aqui para as gerações futuras. Eu acho que seria incrivelmente egoísta pensar, “isso não vai me afetar” porque, quando isso acontecer, o aquecimento global realmente devastará este mundo,” diz ela, francamente, quando perguntamos a ela o que significa sustentabilidade para ela.

Há muita coisa que Phoebe sente muito a respeito, e durante nosso bate-papo um assunto comum ao qual voltamos é como ela vê sua responsabilidade de expressar sua opinião para que outros possam se inspirar a formar a deles.

“Tenho a sorte de ter muitas pessoas adoráveis ​​que me seguem no Instagram, e é bom, pelo menos, pedir que elas tenham uma opinião em geral; em tudo, da política à igualdade de direitos, saúde e bem-estar dos animais, feminismo ou o que quer que seja”, diz ela.

No ano passado, Phoebe usou a plataforma social para convencer seus seguidores americanos a votarem nas eleições de meio de mandato, enquanto na Austrália ela fala livremente sobre igualdade e aponta o atual tratamento dos refugiados como uma das muitas questões que ela defenderá. “Eu acho que a detenção de refugiados é terrível e chocante. Acho que chegou o tempo da Austrália abolir esses tipos de prisões. Essas pessoas estão lá há anos e anos, e em condições tão horríveis ”, diz ela.
De aparecer em Home and Away para Vampire Diaries e mais recentemente, o drama australiano Bloom, em algum lugar ao longo do caminho, ela passou de atriz adolescente para megastar global. Junto com suas companheiras Margot Robbie e Teresa Palmer, ela faz parte do círculo íntimo da Chanel, participou de sessões de moda para a Vogue US, Elle e se uniu a Lara Worthington na campanha de moda #findyouruniform de Jenni Kayne.

Nos últimos oito anos, Phoebe chamou os EUA de lar, os primeiros cinco anos em Atlanta durante as filmagens de Vampire Diaries e mais recentemente em Los Angeles, onde ela diz que suas coisas favoritas para fazer são jantares, cozinhar para amigos e fazer viagens de carro para um de seus lugares favoritos, Ojai. “Eu apenas curto”, diz ela.

A nativa Sydneysider relaciona a atriz e a australiana Teresa Palmer como uma de suas grandes mentoras em Los Angeles, alimentando ainda mais as nossas impressões de um grupo super talentoso de atrizes australianas que pensam do mesmo modo fazendo ondas em todo o Pacífico.

“Ela (Teresa) é outra pessoa que é realmente apaixonada pelo meio ambiente e garante que sua família esteja ciente da comida que comem e de onde vem”, diz ela sobre sua amiga, que também é co-fundadora da Your Zen Mama.

“Ela é como uma irmã para mim, nesse sentido. Ela é alguém com quem posso ligar com qualquer tipo de problema, notícias ou qualquer outra coisa. Ela é sempre uma boa ouvinte e dá conselhos realmente bons”.

Aqui nós conversamos com Phoebe sobre tudo, desde expressar sua opinião para seus 4,9 milhões de seguidores no Instagram, modelos e mentores para o que está em seu kit de desperdício zero e suas coisas favoritas para fazer em seu tempo livre.

G+S: Nós amamos como você é ferozmente apaixonada sobre o feminismo, o que significa ser feminista para você?

Para mim, feminismo não é gênero específico, é que todo mundo merece ser tratado de forma justa e respeitosa. Representa a luta pela igualdade e pela liberdade. Eu acho que é importante falar sobre isso, e isso parece ser minha responsabilidade, porque eu tenho a sorte de ter muitas pessoas adoráveis ​​que me seguem no Instagram. É bom poder incentivá-los a ter uma opinião sobre tudo, da política ao meio ambiente.

G+S: Você nomeava sua mãe como uma de suas maiores inspirações, conte-nos sobre ela.

Ela sempre é valorizada trabalhando duro e sendo ambiciosa. Para ir para as coisas que você quer na vida, mas também para aproveitar a vida ao mesmo tempo, é sobre encontrar esse tipo de equilíbrio. Ela nos ensinou a sermos jovens senhoras fortes e independentes. Acho que isso só me seguiu quando me tornei mais velha. Fomos ensinadas que tínhamos vozes e que, se trabalhássemos muito, poderíamos fazer o que quiséssemos.

G+S: Nós amamos que você tem paixão pelo meio ambiente, você foi sempre assim?

Eu acho que sim! Crescendo eu estava muito consciente da minha pegada ambiental. Meu pai é um defensor absoluto de desligar as luzes. Minha mãe cultiva seus próprios vegetais e ervas no jardim e realmente tenta evitar alimentos processados. Nós meio que crescemos comendo dessa maneira também. Então eu vi um documentário alguns anos atrás chamado Cowspiracy: The Sustainability Secret, que abordou a pegada da indústria da carne, o desmatamento que ocorre, as fábricas que são construídas e quanto de impacto está colocando em nossa terra. Então há a quantidade de plástico que usamos. Eu nem acho que as pessoas realmente percebem o quanto de plástico elas estão usando.

G+S: Vamos falar mais sobre o plástico, é impossível evitar e ainda é uma enorme ameaça à nossa vida marinha, quais são seus pensamentos?

Isso é generalizado, mas eu diria que, especialmente vivendo na América, somos tão frívolos com o uso de plástico. Eu nem acho que as pessoas percebem o quanto de plástico elas estão usando. Acabei de ler sobre um estudo realizado em tartarugas onde eles descobriram que metade das tartarugas marinhas do mundo têm plástico no estômago. Isso é horrível, e não afeta apenas animais, afeta o ar que respiramos, afeta a geração de nossos filhos. Eu acho que é muito descuidado para qualquer governo dizer que o aquecimento global não existe, porque acontece. É nosso trabalho fazer a nossa parte para evitar a destruição desta terra e, você sabe, o nosso futuro.

G+S: Quem inspira você a viver mais conscientemente?

Tem uma garota chamada Julia, que é a rainha da luta por essa terra. Nós fizemos um vídeo há pouco tempo nos mostrando no mercado comprando todos os nossos produtos sem usar nenhum plástico. É incrível como você usa o plástico todos os dias e nem pensa nisso. Se você está colocando alguns limões em um saco plástico, comprando garrafas de água, ou garrafas de refrigerante, ou o que for. Ver como é fácil fazer isso sem usar plástico foi realmente inspirador.

G+S: E quanto às marcas que inspiram você?

Eu amo a Reforma. Eles estão conscientemente limitando a quantidade de novos materiais que estão criando. Eu não compro muitas roupas, mas se eu vou comprar, eu realmente tento gravitar para qualquer coisa vintage ou marcas como Ref.

G+S: Quais são as penas mudanças que você fez ao seu estilo de vida que ficaram?

Eu gosto de manter uma garrafa no meu carro e uma garrafa em casa. Mesmo com xícaras de café, eu costumo fazer meu café em casa, mas quando estou no set, e estou de manhã cedo, eu sempre tomo minha xícara de café reutilizável. E eu tento casualmente sugerir a outras pessoas que façam o mesmo!

G+S: O que você acha que as pessoas devem saber para inspirá-las a fazer pequenas mudanças em suas vidas?

Eu acho que as pessoas precisam ver os efeitos do lixo que estão criando. Eu diria que qualquer um que veja em primeira mão a quantidade de plástico – e os animais que estão sendo mortos ou feridos como resultado – pelo menos pensará duas vezes na próxima vez em que talvez consiga uma bebida com um canudo de plástico. Apenas leva as pessoas a perceber que ainda podem viver suas vidas da mesma maneira. Quero dizer, você sabe, dizer que não usa um canudo de plástico não vai arruinar sua vida.

G+S: O que você faz para o seu bem-estar pessoal, para se sentir bem?

É simples, ir à praia, se exercitar, dormir bem, comer bem. Não ficar acordadA até tarde. Apenas me nutrir em todos os sentidos, seja lendo, assistindo bons filmes, ouvindo música, vendo pessoas que eu amo, minha família, meus amigos. Isso sempre faz eu me sentir mais saudável.

Tradução e adaptação: Equipe PTBR.

deixe o seu comentário!