Seja bem-vindo ao Phoebe Tonkin Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Phoebe Tonkin. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. O Phoebe Tonkin Brasil é um site feito por fãs. Esse site foi feito apenas para postar notícias para pessoas que como nós, admira seu trabalho e seu jeito. O PTBR não tem nenhuma intenção de lucro.

O ano mal começou e já estamos cheios de mimos da nossa amada Phoebe Tonkin! Desta vez, a atriz realizou um belíssimo ensaio fotográfico para a revista australiana Stellar e ainda concedeu uma entrevista onde ela falou um pouco sobre sua carreira, vida pessoal e ativismo. Confira tudo abaixo:

Foi por volta dos 11 anos que algo chamou a atenção de Phoebe Tonkin, a atriz australiana, modelo e estrela aos olhos de qualquer pessoa com menos de 30 anos. Tímida e retraída, ela ainda pretendia se tornar jornalista quando crescesse.

Mas, um tanto ironicamente, havia algo no palco que a chamava atenção. Já treinada como dançarina, tendo aulas a partir dos quatro anos de idade, agora era o mundo do drama que a despertava interesse por cursos no Australian Theatre for Young People (ATYP) em sua cidade natal, Sydney.
“Eu nunca quis ser atriz”, diz Tonkin a Stellar. “Eu só queria contar histórias.” Ainda hoje, ela diz: “Se houver alguma maneira em que eu possa fazer isso, farei criativamente.”

Veja sua conta no Instagram, onde a atriz e ativista – ela é uma feminista apaixonada e uma ambientalista leal – compartilha com seus 5,4 milhões de seguidores tanto fotos suas e de seus amigos quanto notícias e atualizações sobre as causas que mais importam para ela.
“Quando você olha o Instagram como uma plataforma para alcançar as pessoas, é como ter um jornal”, explica ela. “Aproveito a oportunidade para compartilhar informações ou direcionar pessoas para alguma instituição de caridade ou organização. Seria muito estranho ter esse nível de responsabilidade e não usá-lo para um bom propósito.”

A carreira de atriz de Tonkin decolou apenas alguns anos depois que ela se matriculou nos cursos da ATYP. Quando ela tinha 15 anos, ela conseguiu um dos papéis principais na série fantasiosa sobre sereias, ”H20: Just Add Water” da Network 10 e isso acabou provando ser um trampolim para sua mudança para os Estados Unidos, onde ela estrelou o drama de TV adolescente, ”The Vampire Diaries” e seu spin-off, ”The Originals”.
Os projetos a levam para casa regularmente, e ela esteve na Austrália no início deste ano – inclusive para uma sessão de moda com a Stellar em uma propriedade rural nos arredores de Adelaide.

A crise do incêndio florestal que dominou o início de 2020 mostrou-se especialmente difícil de ignorar. “Estar de volta em casa durante o verão foi incrivelmente emocional, mas também inspirador”, diz ela após refletir.
“É notável quanto dinheiro arrecadamos nesse curto período de tempo e ver como as pessoas realmente querem ajudar e apoiar umas às outras. Se [a tragédia] nos mostrou algo, é que ainda somos um país colaborador e solidário. Estou animada para mostrar outro lado da Austrália agora. Que ainda estamos fortes.”
E se Tonkin sentiu uma onda de orgulho ao ver o país se unir em apoio àqueles que mais precisavam, ela também ficou mais do que feliz em dizer sim quando a icônica marca australiana R.M. Williams a convocou para ser sua primeira embaixadora feminina.
Ela espera que sua associação com eles também ajude, pois o país trabalha para mudar sua narrativa internacional após um verão turbulento.
“Quero dizer, eu costumava usar botas minúsculas da R.M. Williams quando eu era muito pequena na fazenda da nossa família”, diz Tonkin. “Eu cresci conhecendo a marca. Estou realmente empolgada e honrada por fazer parte de uma peça icônica da identidade australiana.”
Ajuda que a linha tenha uma reputação de durabilidade – principalmente porque Tonkin, que também exerceu a função de embaixadora da marca Chanel nos últimos dois anos, pretende viver da maneira mais sustentável possível.
“Eu nunca fui alguém que gosta de possuir muitas coisas”, diz ela. “Sou alguém que viaja com tanta frequência que fisicamente não posso. Quando escolho comprar algo, não quero substituí-lo. Eu quero ter coisas que durem.” E as botas da R.M. Williams, ela diz, “são feitas para durar. Elas são feitos para viajar e explorar, e há algo realmente forte sobre eles.”
“Ouvi histórias sobre como as pessoas enviaram suas botas de volta 45 anos depois para serem arrumadas. Esse é um tipo incrível de reciclagem, em vez de apenas comprar mais”, diz ela. “Espero passar minhas botas da R.M. Williams aos meus filhos, e eu sei que elas estarão por lá.”

De qualquer forma, Tonkin já tem uma vantagem como garota propaganda da Austrália. Juntamente com nomes como Margot Robbie, Teresa Palmer e Lara Worthington, ela foi nomeada pela mídia como uma das “It girls”, que são a resposta milenar para Nicole, Cate e a “gumleaf mafia” de Toni, de meados ao final dos anos 90.
E, embora Tonkin não considere isso necessariamente ruim, ela quer ressaltar que nem todos os seus amigos começaram em Home and Away ou Neighbours.
“Na verdade, tento não ter muitos amigos australianos quando estou nos Estados Unidos”, diz Tonkin (que, de fato, teve um papel de sete episódios em Home And Away como dona de uma loja de animais gótica).
“Mas ter um monte de amigas atrizes australianas era importante para mim, especialmente quando eu estava começando, para me ajudar a me enturmar. Porque você não conhece ninguém. Você não sabe como obter uma licença ou como encontrar um ginecologista. Tenho sorte de ainda estarem na minha vida.”
Ela tem trabalhado com mais firmeza na Austrália nos últimos dois anos, assumindo um papel fundamental na minissérie SBS Safe Harbour e continuando a trabalhar na série Bloom (que retorna no próximo mês), ao lado de Jacki Weaver e Bryan Brown.

Mas, ela diz a Stellar, ela teve que se apoiar para chegar aqui. “Estrelar em um programa infantil tornou difícil ser levada a sério quando adulta. Acho que na Austrália é um pouco mais difícil convencer os diretores de elenco de que tenho 30 agora…”
Talvez por isso ela tenha optado por ficar atrás da câmera também. No ano passado, Tonkin escreveu e dirigiu
”Furlough”, seu primeiro curta-metragem, parcialmente inspirado no marido, ator e diretor de sua boa amiga, Palmer, Mark Webber.
“Eu a vejo criando um nome para si mesma por trás das câmeras como uma das cineastas mais interessantes do setor”, diz Palmer à Stellar. “Ela está de olho no meio e tem uma riqueza de experiências para criar histórias significativas que encontram um público”.
Quanto a Tonkin, ela fica feliz em continuar brincando de aluna – e diz que sabe que, embora do lado de fora possa parecer que ela deu certo, ainda há muito o que aprender. “Gostaria de pensar que sou uma boa filha, uma boa funcionária, uma boa irmã e uma boa amiga.” Mas ela também está muito feliz em admitir: “Eu acho que qualquer mulher de 30 anos ainda tem muito para descobrir.”

REVISTAS – SCANS > 2020 > STELLAR MAGAZINE AUSTRALIA (MARCH)
001~8.jpg001~8.jpg001~8.jpg001~8.jpg
ENSAIOS FOTOGRÁFICOS – PHOTOSHOOTS > 2020 > STELLAR MAGAZINE AUSTRALIA
002~10.jpg001~9.jpg002~10.jpg001~9.jpg

28 de março
Phoebe Tonkin Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D