Seja bem-vindo ao Phoebe Tonkin Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Phoebe Tonkin. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. O Phoebe Tonkin Brasil é um site feito por fãs. Esse site foi feito apenas para postar notícias para pessoas que como nós, admira seu trabalho e seu jeito. O PTBR não tem nenhuma intenção de lucro.

Em recente entrevista para a Vogue Austrália, Phoebe Tonkin falou sobre a sua carreira e muito mais! Confira abaixo a mesma traduzida pela nossa equipe:

Por que o novo projeto de Phoebe Tonkin é o mais pessoal dela até agora? A atriz dirigiu seu primeiro filme, um pequeno vídeo íntimo sobre o vínculo entre duas irmãs, que estreará na noite de abertura do 2021 Flickerfest. Phoebe Tonkin e Flickerfest estão voltando. Ao longo dos anos, a atriz participou de inúmeras sessões no prestigioso festival de curtas-metragens, realizado anualmente na Praia Bondi de Sydney. “Tenho boas lembranças”, diz ela à Vogue . Não só de assistir curtas-metragens incríveis, muitos dos quais alcançaram aclamação global, indicações a prêmios e até mesmo alguns Oscars. Mas foi também no Flickerfest que Tonkin se conectou pela primeira vez com algumas das pessoas mais importantes de sua vida.

“Na verdade, foi lá que conheci Teresa Palmer, Lara Worthington e Xavier Samuel, que ainda são meus amigos até hoje”, diz Tonkin. Não é de se admirar, então, que ela se sinta tão “honrada” por estar exibindo seu próprio curta-metragem na noite de abertura do festival de 2021. Na sexta-feira, 22 de janeiro, a estreia de Tonkin na direção com “Furlough”, terá sua estreia australiana.

Depois de anos como atriz, tanto em casa quanto fora em séries como Westworld e The Originals, Tonkin sabia que estava pronta para dar um passo para trás das câmeras. Foi o que ela fez em 2019, escrevendo o roteiro de um curta-metragem seguindo duas irmãs adolescentes enquanto elas escapavam para uma noite na cidade e voltavam para a Austrália para filmar o projeto no final daquele ano.

O resultado é cru e íntimo, uma história de amadurecimento que não foge de toda a “angústia”, como Tonkin coloca, de crescer. A Vogue conversa com Phoebe sobre como fazer sua estreia na direção, trabalhando com a produtora voltada para mulheres Dollhouse Pictures – fundada por Rose Byrne, Jessica Carrera, Krew Boylan, Gracie Otto e Shannon Murphy – e como ela convocou sua mãe para ajudar por trás das câmeras. VOGUE: Você escreveu e dirigiu Furlough em 2019, depois de uma separação, também no ano em que completou 30 anos e mudou de cidade…

VOGUE: Como foi aquela época da sua vida?

 “Eu estava realmente procurando outros meios criativos além de apenas atuar. Sempre tive uma imaginação fértil e adorei o aspecto narrativo de ser atriz. Eu estava trabalhando em um curta-metragem diferente por alguns anos, um filme distópico de culto de ficção científica que realmente não parecia alcançável com meus recursos limitados, então Furlough nasceu por eu mergulhar meus pés na direção de uma forma mais realista.”

VOGUE: De onde veio a ideia de Furlough? Que história você quer contar?

 “As personagens e mundos que escrevo retratam sempre as mulheres de uma forma muito específica. A ideia inicial na qual eu estava trabalhando lidava com mulheres realmente rudes, imperfeitas e bagunceiras. Como atriz, fico muito cansada de ler ‘Ela é forte e poderosa’ em minhas análises de personagem. Havia algo divertido e perigoso nos protagonistas de Furlough. Muitos filmes de amadurecimento mostram os meninos sendo imprudentes e ultrapassando limites; Eu queria explorar a angústia feminina daquela idade também, especialmente no contexto de que os personagens estão se acostumando. Fiquei muito inspirada pelo curta-metragem Slapper, de Luci Schroderpor, e Wasp, de Andrea Arnold. Qualquer coisa de Andrea Arnold, para ser sincera — ela seria uma das minhas maiores inspirações. E Luci é alguém com quem eu adoraria trabalhar um dia também.”

VOGUE: Você deve estar sentindo muita falta da Austrália agora. Qual é o seu sonho de dia de verão australiano?
“Isso está me matando. Estou com muitas saudades de casa. Tenho saudades de acordar e nadar, um bom café com leite, caixas de manga. Meu dia de verão dos sonhos seria um dia em Balmoral nadando e pulando do cais e almoçando no The Boathouse.”
A estreia de Furlough na Austrália terá a exibição na noite de estreia do 2021 Flickerfest.

Foi divulgado uma nova entrevista da nossa Phoebe Tonkin para a Russh Magazine onde ela falou um pouco sobre o filme que ela dirigiu em 2019 na Austrália, confira:

O mais recente projeto de Phoebe Tonkin marca sua estreia na direção, e já estamos viciados Para a atriz australiana Phoebe Tonkin, correr riscos faz parte de seu DNA. No ano passado, a atriz e modelo lançou sua marca de roupas confortáveis, fabricada em Los Angeles, LESJOUR!. E agora em 2021, Tonkin está assumindo um novo papel, fazendo sua estreia como roteirista e diretora no seu novo filme, Furlough.

Fazendo sua estreia na Austrália como parte do programa de aniversário de 30 anos do Flickerfest, Furlough, de Phoebe Tonkin, junta-se a outras 55 estreias australianas e 36 estreias mundiais nas competições de qualificação para a Academia e reconhecidas pelo BAFTA. O drama de 19 minutos, que foi filmado na região de Hunter em New South Wales, acompanha um dia na vida de duas irmãs adolescentes, interpretadas pelas atrizes Markella Kavenagh e Milly Alcock, que embarcam em uma aventura selvagem em busca de liberdade e novas experiências. Falando em uma entrevista para o FILMINK, Tonkin disse que ela queria compartilhar a experiência feminina adolescente através de Furlough de uma forma que parecesse honesta e transparente.

“Às vezes caímos na ideia de tentar representar as mulheres como realmente fortes ou realmente femininas, mas há muitas mulheres muito complicadas, imperfeitas e bagunceiras. Eu queria ver uma representação disso.”

“Eu queria contar esta história sobre essas duas garotas problemáticas que estão realmente ultrapassando os limites, mas então você finalmente entende o propósito maior do porquê elas estão ultrapassando esses limites e tentando ter experiências realmente normais, embora um tanto perigosas e perversas,” ela continuou.

Flickerfest há muito tempo é elogiado por sua celebração de diversos filmes e criadores, com recursos criados em mais de 100 países e mais de 50% dos diretores representados na competição feminina australiana.

Outras menções notáveis ​​no programa deste ano incluem ‘The Story Of Lee Ping’, um conto de 12 minutos sobre a jornada de uma jovem chinesa para encontrar a liberdade, estrelado por Jillian Nguyen e a estreia de ‘Roborovski’ em NSW, um projeto animado em RV de Tilda Cobham- Hervey e Dev Patel sobre um hamster em busca de vingança. Produzido pela produtora Dollhouse Pictures (formada por Krew Boylan, Rose Byrne, Jessica Carrera, Shannon Murphy e Gracie Otto), Furlough, o primeiro filme de Phoebe Tonkin no evento Bondi Beach do Flickerfest de 22 a 31 de janeiro de 2021.

Estamos amando! Phoebe concedeu uma nova entrevista sobre o lançamento da sua marca Lesjour para o site Russh, confira a tradução abaixo:

A atriz Phoebe Tonkin lança a sua marca LESJOUR! de loungewear sustentável!

Atriz, ativista e agora líder de loungewear (roupas de lazer/confortáveis), Phoebe Tonkin anunciou o lançamento de sua marca sustentável, feita em Los Angeles, LESJOUR!

Criada nos estágios iniciais da quarentena, Tonkin escolheu assumir o controle de sua carreira que foi interrompida pelo COVID e do seu armário “home office” enganoso, trabalhando em sua linha de estréia em junho deste ano.

“O ‘Home Office’ criou uma mudança de paradigma na maneira como as mulheres pensam sobre como se vestir. Em 2020, as mulheres querem que seus armários sejam preenchidos com roupas multifuncionais de alto desempenho que trabalhem duro para nós – tanto quanto trabalhamos para comprá-las e desfrutá-las”, diz Phoebe Tonkin.

A linha de produtos LESJOUR! apresenta exclusivamente conjuntos de loungewear justos e elegantes com uma oferta de tamanho inclusivo, de XS – XXL. A sustentabilidade é o centro para cada decisão da marca, com a coleção de estréia oferecendo seis estilos em três cores: vermelho, preto e, em breve, ouro lurex.

Aqui conversamos com Tonkin sobre a criação da LESJOUR!, práticas sustentáveis, seu estado de espírito “felizmente caótico”, suas esperanças e sonhos para o futuro.

Conte-nos sobre a LESJOUR!, o que inspirou a criação de sua linha de loungewear sustentável?

LESJOUR! estava na minha mente há um tempo. Sempre adorei a ideia de combinações de roupas, são muito práticas, mas já montadas ao mesmo tempo. Durante a quarentena, senti que havia uma lacuna em meu guarda-roupa de algo que fosse aconchegante e prático para ficar horas na frente do meu computador, mas também que fosse fofo, lisonjeiro e chique. Gosto que minhas roupas sejam versáteis; você pode vestir seu LESJOUR! de salto alto e lábio vermelho, ou de tênis surrado. É a roupa que a leva perfeitamente ao longo do dia, sem ter que pensar muito nisso. Nunca quis que o foco fosse a sustentabilidade, para uma nova marca em 2020 que deveria ser apenas um conforto. Quero fazer todo o dever de casa para o consumidor, então ele só precisa se concentrar em ficar bonito e confiar em nós como marca para sermos ecologicamente responsáveis.

Que estilos estão disponíveis na linha de produtos de estreia?

Estamos começando com quatro tops e duas calças, em vermelho (que chamamos de chique!) preto, e um lurex dourado que será lançado em breve a tempo das festas de fim de ano.

De quais fabricações são a LESJOUR!, são roupas feitas de…?

Todas as nossas peças são feitas de ECOVERO, uma viscose renovável feita da polpa de madeira regenerativa plantada localmente em Los Angeles. Tem a sensação da mão em cashmere!

Que outras práticas sustentáveis ​​foram implementadas?

Foi importante para mim minimizar nossa pegada de carbono em todos os aspectos da LESJOUR! Todas as nossas roupas são feitas em Los Angeles, a menos de 5 milhas da minha casa, a partir de um material feito lá. Também fizemos parceria com a Better Packaging Co, administrada por um grupo incrível de mulheres. Todas as nossas sacolas de entrega são feitas de material compostável, e estamos lançando as novas mailers para presente reutilizáveis ​​da Better Packaging Co. Essas mailers não são apenas compostáveis, mas também feitas para serem reutilizadas como embalagens de presentes de Natal. Por fim, evitamos todas as embalagens desnecessárias, como decidimos não usar etiquetas penduradas… queríamos criar algo com o mínimo de resíduos possível.

Como você se mantém criativa e motivada durante esse período de agitação global?

Tento encontrar um equilíbrio entre me manter atualizada e ciente de tudo que está acontecendo e reservar um tempo para me desconectar e cuidar de mim mesma. Ser capaz de focar na LESJOUR! durante um ano sem precedentes foi uma bênção. Como atriz, nem sempre posso estar no comando e no controle de quando posso ser criativa. Mas com a LESJOUR! estou no banco do motorista e posso tomar as decisões criativas sozinha.

Em que outros projetos você está trabalhando atualmente?

LESJOUR! Está definitivamente ocupando a maior parte do meu tempo agora! Eu deveria começar a gravar um filme na Grécia este ano que foi adiado até o próximo verão, então também tenho o luxo de ter mais tempo para me preparar.

Qual é o seu estado de espírito atual?

Alegremente caótica.

Quais são suas esperanças e sonhos para o futuro?

Honestamente, eu realmente espero que Joe Biden ganhe as eleições na próxima semana e alguma graça e ordem sejam trazidas de volta ao governo aqui nos EUA. Espero voltar para a Austrália para ver minha família em breve. Espero que a LESJOUR! cresca e floresça, estou animada para começar a ver nossos clientes em nossas peças e como eles as vestem.

O que você mais aprecia agora?

Estou muito grata por estar saudável, por digitar isso em minha casa ensolarada em Los Angeles e por ter um sistema de apoio tão forte. Comecei a LESJOUR! mais ou menos na mesa da cozinha, e tive a sorte de ter tantos amigos colaborando e me apoiando enquanto eu estava construindo esta marca.

Estou ansiosa para…

Mais algumas idas a praia antes que fique muito frio!

Em recente entrevista de Phoebe para o Los Angeles Times, a atriz falou sobre a criação da sua marca de roupa Lesjour durante a pandemia do COVID-19, confira traduzida abaixo:

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS – PHOTOSHOOTS > 2020 > LOS ANGELES TIMES
PTBR001~28.jpgPTBR002~24.jpgPTBR003~18.jpg
 

Essa atriz de Hollywood usou a quarentena para criar uma linha de roupas de lazer de alto nível

Todos nós tivemos que ajustar nossas rotinas desde a pandemia – com muitas pessoas atuando profissionalmente. Phoebe Tonkin não é diferente.

Quando as produções de Hollywood foram interrompidas em março por causa do Covid-19, a atriz e ativista ambiental usou o tempo de inatividade para revisitar uma idéia que ela já havia colocado em banho-maria.

No início desse mês, Tonkin “provocou” o novo projeto em sua conta do Instagram ao lado de uma foto com a palavra “LESJOUR!” em vermelho. A postagem misteriosa deixou os 6,1 milhões de seguidores de Tonkin pesquisando no Google o que a palavra poderia significar.

A resposta está oficialmente fora da sacola biodegradável. Na quinta-feira, Tonkin lançou a Lesjour!, uma coleção de roupas de lazer sustentável. Consiste em seis peças (quatro blusas e duas calças) em duas cores (preto e vermelho) com cada peça vendida separadamente por $198. Os conjuntos, feitos de material ecológico, estão disponíveis exclusivamente para encomenda em lesjour.com nos tamanhos XS a XXL.

Embora Tonkin tivesse pensado em criar uma linha de moda sustentável, sua estética foi inspirada em seu guarda-roupa fora de serviço e estilo de vida pandêmico.

“Eu senti como se estivesse me trocando quatro vezes por dia, mas com a mesma variação de pijama”, Tonkin disse ao The Times pelp Zoom em meados de outubro enquanto vestia um top Lesjour! vermelho, que ela combinou com brincos de argola de ouro da Oma the Label. “Então o pijama se transformava em calças de moletom para ir ao supermercado e então eu voltava e colocava outra coisa.”

Para minimizar as mudanças de guarda-roupa, o jovem de 31 anos decidiu criar uma versão moderna do tradicional traje de lazer dos anos 1970. “Eu queria criar algo que fosse feito sob medida, que fosse lisonjeiro, que fosse confortável, mas também muito chique e clássico”, disse ela sobre os vários estilos, que incluem cardigans, tops de manga comprida e calças de perna larga.

“O conjunto é uma ótima base ou plataforma para seu estilo pessoal”, disse ela. “Você pode projetar sua personalidade nessas roupas, em vez de essas roupas serem a personalidade.” Ela também queria que as peças estivessem descomplicadas, sem qualquer necessidade de passar. “Você pode amassá-los no final do dia e, em seguida, colocá-los novamente pela manhã.”

Com sede em Los Angeles, Lesjour! é uma marca quintessencial da Costa Oeste. “Eu definitivamente sinto que fui influenciada pela facilidade de viver na Califórnia”, disse Tonkin, acrescentando que cada peça é feita em Los Angeles com todos os pedidos despachados do estúdio local da marca.

“Eu me mudei de volta de Nova York para LA para fazer Lesjour! em tempo integral”, disse ela, explicando que viveu entre as duas cidades, mas decidiu que sua quarentena deveria cancelar seu contrato de aluguel na Costa Leste para se concentrar no novo empreendimento. Tonkin dirige até o centro de Los Angeles a cada poucos dias para visitar o fabricante. Caso contrário, ela trabalha em casa.

“Quanto menos impacto no meio ambiente, melhor”, disse ela, acrescentando que a fábrica fica em um raio de cinco milhas de sua casa.

Como Tonkin é tão apaixonada pelo meio ambiente quanto é pela moda, a sustentabilidade faz parte do espírito de sua marca. Toda a linha é feita de Ecovero por Lenzing, um tecido viscose renovável de malha de Los Angeles feita de polpa de madeira regenerativa.

“Estou animada por ser uma das primeiras empresas a usá-lo”, disse Tonkin, acrescentando que o tecido tem uma “sensação de caxemira supermacia”, mas que cada árvore usada para criar o tecido é replantada com práticas agrícolas regenerativas. Tonkin encontrou o material enquanto pesquisava alternativas ecologicamente corretas. “Tecidos como o Ecovero são inovadores de alto nível – o futuro dos tecidos”, disse ela.

As considerações ecológicas podem ser vistas em todos os detalhes. Os pedidos são enviados usando a embalagem para presente de edição limitada, reutilizável e biodegradável da Better Packaging Co.. Além disso, cada peça de roupa não tem uma etiqueta. “Por que precisamos de etiquetas penduradas?” Tonkin disse. “Se alguém vai usar e mandar de volta, eles vão usar e recolocar de qualquer maneira. É apenas lixo extra. ”

Embora a maioria das empresas ainda não tenha considerado sua pegada de carbono de uma forma tão abrangente, Tonkin disse que não quer necessariamente Lesjour! ser considerada “esta marca sustentável que grita do telhado”. Seu sentimento é que ela faz “todo o dever de casa para o consumidor, para que ele possa confiar em nós. Deve ser um bem adquirido agora, se você está criando algo mais para colocar neste planeta, deve ser pensado de forma sustentável. … Isso deve ser esperado das novas marcas.”

Tonkin reconheceu que os olhos de alguns consumidores podem ficar vidrados na palavra “sustentabilidade”, que pode soar como uma palavra da moda, mas parte disso pode se resumir à sua definição sempre mutante. De muitas maneiras, os consumidores não sabem o que a palavra significa porque, de acordo com Tonkin, as empresas de moda ainda estão navegando pelo melhor caminho para minimizar sua pegada de carbono.

“Todo mundo está tentando apostar no que é a sustentabilidade”, disse Tonkin, observando que o estoque morto foi, em um ponto, uma tendência antes de perceber que não estava fazendo muito. Ela espera que as empresas continuem a considerar a sustentabilidade para que se torne um padrão do setor. Kering, proprietária da Gucci, Saint Laurent e Balenciaga, empregou um diretor de sustentabilidade, enquanto LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton, Armani e Vivienne Westwood juntaram iniciativas para compensar sua pegada de carbono.

Tonkin afirma que a responsabilidade recai sobre a indústria da moda para fazer melhor. “O objetivo principal do consumidor deve ser comprar algo fofo que fique bem com eles”, disse ela, “e então tudo o mais é o que fazemos nos bastidores para garantir que eles fiquem bonitos”.

Lesjour! planeja lançar uma nova cor de modelo a cada seis semanas e introduzirá estilos diferentes no próximo verão. “O plano é começar pequeno e gerenciável”, disse Tonkin. “Estamos praticamente só nós fora da minha casa.”

Embora Tonkin sempre diga “nós” enquanto discute sua nova marca, Lesjour! é apenas uma produção de uma mulher, estrelada por Tonkin. No entanto, ela ocasionalmente pede conselhos ou ajuda a amigos próximos da moda. Caso em questão: modelo/atriz Dree Hemingway, estilizado e estrela no look book da Lesjour!, que foi filmado pelo fotógrafo Alex Cramer na sala de estar de Tonkin ao lado de Tonkin e da modelo Loreal Ellis.

Moda, sustentabilidade e amizade são frequentemente sinônimos para Tonkin. Embora seja uma ávida compradora de roupas vintage, ela disse que entende que “as pessoas trabalham duro e querem se cuidar e comprar algo novo e especial”. Com isso em mente, ela é uma embaixatriz da Chanel desde 2017. Foi assim que ela foi apresentada ao grupo de defesa ambiental Natural Resources Defense Council. A organização sem fins lucrativos se beneficia de um baile de gala patrocinado pela Chanel realizado pela ativista Kelly Meyer a cada ano.

Pouco depois de Meyer apresentar Tonkin a sua filha Carson, as mulheres fizeram lobby em Sacramento em nome do NRDC. “Estávamos lá para falar sobre pesticidas e derramamento de óleo no oceano da Califórnia”, disse Tonkin, acrescentando que desde então se tornou ativa dentro da organização e particularmente próxima de Carson Meyer. As mulheres esperam fazer um lobby em Washington, DC, a seguir. Tonkin tem se interessado por ativismo ambiental desde que ela se lembra.

“Ser australiana está meio que enraizado em como crescemos”, disse Tonkin, que trabalha como atriz desde a adolescência. “Não é algo que eu realmente tive que me ensinar sozinha. É assim que eu sou.”

Tonkin mudou-se para Los Angeles aos 20 anos – e descobriu que dirigir era mais assustador do que qualquer outra coisa. “Eu falhei em meu teste de motorista cerca de cinco vezes na Austrália e finalmente consegui um ou dois dias antes de voar para cá”, disse ela com uma risada. “Minha primeira impressão de Los Angeles foi dada dirigindo nas rodovias 24 horas depois de tirar minha carteira de motorista. Foi assustador.”

A partir daí, avançou a toda velocidade. Tonkin estrelou várias séries da CW, incluindo “The Secret Circle”, “The Vampire Diaries” e “The Originals”. Mais recentemente, ela estrelou em “Bloom”, do Hulu, um drama com o companheiro australiano e indicado ao Oscar, Jacki Weaver. Tonkin também escreveu e dirigiu um curta-metragem chamado “Furlough” e apareceu no “Westworld” da HBO.

Embora as filmagens a tenham levado para dentro e para fora da cidade ao longo dos anos, Los Angeles continuou sendo uma base. “Eu sou definitivamente um Angeleno agora”, disse Tonkin. “Eu amo o estilo de vida da Califórnia. LA é um excelente ponto de partida para aventuras e experiências.”

Ela disse que sua rotina de quarentena inclui viagens matinais à praia. “Eu estava tão nervosa em ir à praia durante tudo”, disse ela. “Então, no último mês, pensei, ‘Mentalmente, tenho que nadar pelo menos uma vez por semana.’ Eu dirigi para Malibu – apenas nadei por 20 minutos – voltei para meu carro em meus nadadores molhados e dirigi de volta para casa.”

Tonkin não sabe o que o futuro reserva, mas ela está abraçando a jornada. “Como sou atriz, estou esperando o telefone tocar normalmente para me dar permissão para ser criativa”, disse ela. “Ser capaz de estar no controle de minha própria criatividade, no controle de minha própria vida, meu negócio – todas essas coisas – tem sido uma realização incrível para mim.”

Ela dá crédito a Lesjour! como contribuinte para sua perspectiva positiva durante a pandemia. “Essa é a mais calma, empolgada e com os pés no chão que eu já senti em muito tempo”, disse ela.

Phoebe Tonkin Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D