Warning: include(/leaderboard.php): failed to open stream: No such file or directory in /home/phoebet1/public_html/wp-content/themes/ptbrbydc/header.php on line 127

Warning: include(): Failed opening '/leaderboard.php' for inclusion (include_path='.:/opt/cpanel/ea-php56/root/usr/share/pear') in /home/phoebet1/public_html/wp-content/themes/ptbrbydc/header.php on line 127

Archive from Entrevistas



posted by maisa02.19.2019

Phoebe concedeu uma entrevista para o site Matteu, onde ela fala sobre seus trabalhos, vida pessoal e mais. Confira a matéria traduzida pela nossa equipe abaixo:

 

Phoebe Tonkin: A musa original da Matteau

Phoebe Tonkin é a primeira. Ela é a absoluta Matteau Muse original. Ela é alguém que conhecemos desde sempre e admiramos ainda mais, uma mulher que nos inspira toda vez que a vemos. Mesmo que ela não fizesse parte da família, ela representa o tipo de mulher que sempre amaremos.

Se ela está filmando em Melbourne, Montauk ou LA, ou na primeira fila no Grand Palais como embaixadora da Chanel, Phoebe faz as coisas ganharem vida. Ela disse que 2018 mudou completamente sua trajetória de forma criativa. “Apenas emocionalmente as coisas mudaram para mim. Meu trabalho me desafiou e me inspirou todos os dias. Também me fez perceber o poder do cinema significativo e apreciar a sensação de fazer parte de algo colaborativo ”.

Apesar do sucesso, ela está lutando abertamente com o que significa ser tão visível e o que ela pode fazer para contribuir com essa visibilidade para as coisas que importam para ela. “Eu não entendo por que isso se tornou uma moda para feministas ou ativistas”, disse ela. “Não deveríamos sempre ter nos importado com o mundo e nosso lugar nele?”

Para sobreviver como atriz, você precisa acreditar em algo. O que é óbvio a partir do momento em que você conhece Phoebe é que ela é uma mulher que acredita – em si mesma, na criação, em sua voz e nas vozes daqueles que foram marginalizados em sua indústria. “Seja você um CEO, um diretor de escola, um diretor ou um motorista de ônibus, é preciso haver representação e diversidade. É importante quando as pessoas se sentem representadas, quando se sentem pertencentes a espaços e uma cultura que os isola por tempo demais ”.

Sua paixão pelo que faz – tudo o que faz – é evidente em cada um dos projetos aos quais ela se une e em todas as causas que assume. Quando perguntada sobre o que mais a preocupa no momento, ela não hesita. “As questões que fazem meu sangue ferver: a desigualdade econômica, os maus-tratos de refugiados na Austrália, as absurdas leis de armas na América e os direitos dos animais.” Ainda mais importante, Phoebe disse: “Estou farta dos direitos masculinos. Eu não me importo se você sente que seu trabalho está comprometido; você deveria estar pronto para o desafio. Isso vale para todos os setores. Há uma nova onda de mulheres que são tão famintas, talentosas e apaixonadas como você é agora. “Não poderíamos concordar mais.

Phoebe tem todas as qualidades raras que só se juntam, em uma pessoa, uma vez em uma geração. Seu estilo, sua beleza, sua inteligência, seu espírito trazem vida ao seu trabalho e trazem algo singular para Matteau.

Sobre as mulheres ao redor dela:

O que torna uma mulher bonita é sua substância, inteligência e escuridão. Não tenho sorte de ter tantas pessoas trabalhadoras, inteligentes e criativas em minha vida. Eu sou constantemente inspirada por sua independência e força. Nenhuma das mulheres da minha vida tem medo da ambição. Nós usamos nossa paixão em nossas mangas tão claramente quanto nossos corações!

Suas fontes de inspiração:

Eu sou uma viciada em propriedade. Eu tenho todos os aplicativos, eu deslizo e sonho acordada. Eu sou obcecada. Tive a sorte de morar em Los Angeles e fazer tours de drive-by de algumas arquiteturas incríveis. Lautner, eu adoraria morar em uma de suas casas, você consegue imaginar? Richard Neutra, eu fui à exposição Frank Lloyd Wright há alguns anos atrás.
Meus escritores favoritos são Yrsa Daley-Ward, Gillian Flynn. recentemente Susan Sontag. Michael Pollan; outra jovem escritora que acabei de descobrir é Laura Elizabeth Woollens, ela é australiana.
Eu amo o trabalho de Francesca Woodman, Sally Mann, John William Waterhouse, Egon Schiele, Elsa Bleda, Christiane Spangsberg, Christo e Jeanne-Claude. Eu acho que a imagem das ilhas cercadas por tecido rosa flutuante foi a lembrança mais antiga que tenho de ser surpreendida por uma imagem que eu não estava exposta no currículo escolar quando eu tinha uns 11 anos. Eu a vi em um livro de fotografia.

Memória de verão favorita:

Este verão na Espanha foi muito especial.. Foi improvisado e perfeito. Nadei nua na piscina. Cerejas à beira-mar, Negronis o dia todo, e ouvindo os Cranberries com chapas de queijo à noite.
Nas peças, ela mais valoriza:
Eu tenho muitas jóias lindas. Algumas eu comprei para mim mesma. alguns eu fui presenteada, tanto por amantes como por amigos. Eu também tenho uma extensa coleção de camisetas de ex-namorados.
Uma palavra de sabedoria que ela gostaria de ter recebido cinco anos atrás:
Eu gostaria de ter enfatizado menos sobre o futuro, mas, na verdade, devo aplicar isso à minha vida agora! Eu me preocupo muito com o que está por vir.

O que é mais importante para ela na vida:

Ser uma boa pessoa.
Seu estilo Matteau favorito: Eu amo o conjunto de biquíni de corda e o conjunto de biquíni Petite. Além disso, o Square Maillot para nadar!

FONTE

 

2019 > MATTEAU MUSE
posted by maisa12.23.2018

2019 nem começou mas nós já amamos! Ontem, 22, veio ao público um novo ensaio fotográfico estrelado pela nossa atriz favorita, Phoebe Tonkin para a edição de janeiro da WHO Magazine. A musa realizou as fotos em Sydney, na Austrália e foram feitas pelo fotografo Jason Ierance. 

Além das belíssimas imagens da nossa amada Phoebe, ela também concedeu uma entrevista que você pode conferir abaixo:

É o dia após o AACTA Awards e Phoebe Tonkin está no set com uma quantidade de energia que deveria ser ilegal, particularmente porque ela teve uma grande noite se aproximando de suas co-estrelas de Safe Harbor.
“Um lábio vermelho brilhante ajuda”, ela diz à WHO.
A atriz de 29 anos é uma das melhores exiladas da Austrália, tornando-se conhecida em The Vampire Diaries, mas Tonkin não está deixando a fama chegar até ela.
Falando com a WHO, a atriz fala sobre seu mais recente projeto, Bloom, sua visão sobre a debacle dos refugiados na Austrália e exatamente por que ela se recusa a posar nua para ser a “garota gostosa”.
WHO MAGAZINE: Qual é a única coisa que você nunca fará na tela?
PHOEBE: Não há muita coisa que eu não faria. Eu acho que qualquer nudez ou ação sexual que é gratuita ou não faz sentido, eu sou um pouco… Eu realmente valorizo quando a nudez é necessária. Eu não acho que as pessoas fazem sexo segurando folhas ou se cobrindo – especialmente quando você está tentando mostrar algo real. Eu não acho que eu faria nudez para ser a “garota gostosa” ou para servir alguma coisa de algum homem. Eu não acho que eu faria isso, mas eu não sou contra nudez e sexualidade, se é pelas razões certas.
WHO MAGAZINE: Qual foi a sua audição mais memorável?
PHOEBE: Na verdade, houve uma, anos atrás, que eu cheguei lá e não consegui me lembrar das falas para salvar minha vida. E em vez de dizer tipo ”escuta, isso não está indo bem, eu realmente não sei as falas”, eu fingi que estava muito doente no meio disso. Eu estava tipo “Oh meu Deus!” Eu estava agachada e segurando meu estômago. Eu fiquei tipo “Eu sinto muito por fazer isso, mas eu vou vomitar, eu tenho que sair e ir embora”.
WHO MAGAZINE: Então você não conseguiu esse papel?
PHOEBE: Eu não consegui esse papel, não. [Risos]
WHO MAGAZINE: Você mostrou suas habilidades de atuação.
PHOEBE: Sim! A propósito, eles deveriam ter me dado o trabalho porque eles acreditaram que eu estava doente.
ENSAIOS FOTOGRÁFICOS – PHOTOSHOOTS > 2018 > WHO MAGAZI
posted by maisa12.05.2018

Com a estreia do seu novo trabalho para 1 de janeiro de 2019, Phoebe está concedendo várias entrevistas e uma delas foi para o Daily Mail, onde ela falou um pouco sobre BLOOM, The Vampire Diaries e mais! Confira abaixo:

Ela interpreta uma versão mais nova da personagem de Jacki Weaver em sua nova série da Stan, Bloom. E na estréia mundial em Sydney na quinta-feira, Phoebe Tonkin falou calorosamente de sua experiência trabalhando ao lado da atriz veterana, 71.

“Foi incrível, tive muita sorte trabalhando com Ryan Corr, Byran Brown e, claro, com Jacki”, disse Phoebe.

Foi um sonho e ela é a pessoa mais doce do planeta.

Phoebe brincou dizendo que ela deveria ter perguntado a indicada ao Oscar por orientação profissional no set, mas disse que na maioria do tempo discutiram seus personagens.

A estrela de Vampire Diaries acrescentou com uma risada: “Tenho certeza de que ela teria tido um conselho incrível [de carreira], então eu provavelmente deveria ter perguntado a ela!”

Phoebe descreveu Bloom como “intensa, poderosa e emocional”, e disse que ela teve um tempo fantástico trabalhando na série original de seis partes.

Ela disse: ‘Foi uma experiência realmente única. É o sonho de um ator retratar todas essas coisas e trabalhar com alguns dos atores mais incríveis que a Austrália tem.’

Sinto-me incrivelmente grata. Foi uma ótima experiência.

Jacki e Phoebe interpretam versões jovens e antigas da mesma personagem, uma vítima de Alzheimer chamada Gwen Reed, que recebe uma segunda chance na juventude de uma planta mágica.

O aclamado diretor de cinema norte-americano John Curran estava no comando da Stan Original Series, que foi financiada pela Screen Australia e Stan.

FONTE

posted by maisa12.05.2018

Phoebe que ainda está na Austrália para a divulgação da sua nova minissérie, BLOOM, que estreará em janeiro de 2019, concedeu uma entrevista para a revista ELLE australiana onde ela fala sobre a sua vida pessoal, dietas e mais. Confira abaixo:

A atriz australiana Phoebe Tonkin conquistou uma inigualável quantidade de fãs, interpretando tudo, de uma sereia para uma lobisomem, e até uma garota da capa da ELLE Austrália.

Mas Tonkin está encerrando 2018 com possivelmente seu papel mais fascinante até agora, como Gwen Reed na série original da Stan, Bloom.

Descrita como um conto de fadas gótico, a série de seis partes se aventura em questões que envolvem a busca da eterna juventude e a fragilidade da vida. Bloom primeiro introduz Gwen como uma anciã debilitada e frágil, interpretada pela lenda australiana Jackie Weaver, antes de receber uma fruta “milagrosa”, que restabelece sua juventude, interpretada por Tonkin. Antes da estréia do show em 1º de janeiro, nós sentamos com o rosto da Chanel e a levamos para falar sobre alguns dos termos mais pesquisados com seu nome. Role para baixo para ver o que ela tinha a dizer.

“PHOEBE TONKIN NAMORADO”

Phoebe: Essa é a busca número um? Posso dizer “sem comentários”?

“PHOEBE TONKIN DIETA”

Phoebe: Não… dieta é uma palavra feia.

“PHOEBE TONKIN MARGOT ROBBIE”

Phoebe: Nós nos conhecemos há muito tempo. Ela é poderosa. Ela é tão inspiradora; não apenas na sua ética de trabalho e como ela é obviamente tão talentosa, mas ao longo dos anos tem sido uma verdadeira campeã por juntar [atores e atrizes]. Ela adora comer churrasco e outras coisas, ela é muito legal. Eu me lembro de ouvir que Heath Ledger, quando ele começou a ter mais sucesso, ele era inclusivo e se assegurou de que todos se sentissem parte da comunidade e eu diria que ela tem um pouco disso. Ela realmente se envolve com pessoas ótimas, inspiradoras e criativas de todas as diferentes carreiras e as coloca juntas. Eu acho que isso é realmente admirável.

“VOCÊ ACHA QUE VAI ACABAR TRABALHANDO COM ELA UM DIA?”

Phoebe: Sim, eu adoraria isso! Eu acho que meu sonho para os próximos anos é apenas trabalhar com pessoas que admiro, sejam atores, diferentes escritores e esse tipo de coisa começou nos últimos anos. Eu estava apenas tentando encontrar projetos que realmente falassem comigo e que eu quisesse cravar os meus dentes.

“PHOEBE TONKIN DIÁRIOS DE UM VAMPIRO”

Phoebe: Eu estive em apenas alguns episódios, porque obviamente fui e fiz The Originals por cinco anos. Quero dizer, sim, foi ótimo. Foi a minha casa e minha família durante seis anos da minha vida e eu morava em Atlanta… Eu amava Atlanta. Eu amo o sul, eu amo os estados sul-americanos. Eu simplesmente amei morar lá. Mas sim, foi ótimo, foi uma experiência incrível. Fiz amigos e aprendi muito, mas fiquei animada em explorar outras oportunidades depois disso.

Fonte

posted by maisa11.17.2018

Com a estreia da sua nova série, Bloom, prevista para janeiro de 2019 na Austrália, Phoebe Tonkin recentemente conversou com a Popsugar onde ela contou mais detalhes da sua vida e trabalhos, confira abaixo, a matéria traduzida pela nossa equipe:

Phoebe Tonkin sobre a sua nova série Bloom: “É muito ousada para o drama australiano”.

Phoebe Tonkin é uma das jovens de maior sucesso da Austrália. Começando sua carreira na série teen H20: Just Add Water, ela ganhou fama internacional (e 4,8 milhões de seguidores no Instagram) de seu papel no spin off de The Vampire Diaries, The Originals. Agora, com sua carreira em seu apogeu, ela voltou para a Austrália para assumir o papel principal da jovem Gwen (com ela mais velha para ser interpretada pela indicada ao Oscar Jacki Weaver) na nova série original de Stan, Bloom, estreando em 1 de janeiro. Abaixo, Phoebe conversa sobre Bloom e o que significa ser ator em 2018.

POPSUGAR Austrália: Conte-nos sobre a premissa de Bloom.

Phoebe: A premissa é que, se você tem a oportunidade de ter sua juventude, energia e vitalidade de volta, com o conhecimento de estar em seus sessenta ou setenta anos, o que você faria diferente? Há algum mal que você acertaria, algum grande arrependimento que você teve em sua vida que você tentaria compensar, se tivesse a chance?

POPSUGAR Austrália: Você interpreta uma personagem chamada Gwen – conte-nos sobre ela!

Phoebe: Quando conhecemos a Gwen, descobrimos que ela tem lutado contra a demência nos últimos anos e, portanto, muito da sua memória desapareceu. Mas você percebe que há um homem que ela amava uma vez quando ela era muito, muito mais jovem, assim como o homem com quem ela ainda está vivendo agora, Ray. Ela passou por algumas coisas quando era mais jovem e estava bastante dividida entre dois homens que ela amava muito. Você percebe como nós exploramos na série que às vezes nossa memória é um pouco enevoada e você pode romantizar relacionamentos. Então, vamos aprender mais sobre o relacionamento que ela teve com Max e seu marido Ray.

POPSUGAR Austrália: O que te atraiu para o personagem e a série?

Phoebe: Eu amo trabalhar na Austrália. Eu acho que Stan está fazendo um ótimo trabalho sendo um forte concorrente de grandes programas de TV a cabo nos Estados Unidos. Eu achava que a premissa era realmente interessante e única, e eu pensei que os criativos envolvidos – [e o diretor] John Curran são pessoas com quem eu queria trabalhar por um longo tempo – e todos os atores australianos são pessoas que eu sempre procurei. Mas sim, a premissa foi realmente diferente, e eu acho que é muito ousado para o drama australiano.

POPSUGAR Austrália: Você já fez muitas séries sobrenaturais. . .

Phoebe: [Risos] Espero que esta seja a série menos sobrenatural. É mais sci-fi!

POPSUGAR Austrália: O que te atrai para o gênero?

Phoebe: Eu não acho que sou atraída pelo gênero, é sempre específico do projeto. Eu não estava disposta a fazer coisas de vampiros sobrenaturais, eu simplesmente caí naquele mundo. O mesmo com isso, foi apenas um projeto que eu realmente gostei. Foi mais os criativos e a premissa que me atraíram.

POPSUGAR Austrália: Como você se envolveu na série?

Phoebe: Eu recebi o roteiro, li o primeiro e enviei um e-mail para o meu agente e disse: “Eu faria isso em 10 segundos, me consiga esse emprego!” Mesmo nas primeiras páginas de leitura, percebi que era muito singular para a Austrália e causaria uma grande impressão de que a Austrália é uma grande concorrente para o resto do mundo.

POPSUGAR Austrália: Como é filmar uma série local da Austrália contra algo como The Vampire Diaries?

Phoebe: Essa série parece muito grande para um projeto australiano. Realmente não há diferença fazendo isso e a série que eu tenho feito em Atlanta. E é legal, é legal ver australianos sendo um concorrente.

POPSUGAR Austrália: O slogan para a série é que você é jovem apenas duas vezes. Se você pudesse voltar e refazer algo, o que seria?

Phoebe: Eu tento não ter nenhum arrependimento, mas eu definitivamente poderia voltar e reviver alguns dos meus últimos anos de adolescência e entrar em um pouco menos de problemas!

POPSUGAR Austrália: Como você quer ser conhecida como atriz?

Phoebe: Eu só quero continuar fazendo projetos interessantes e trabalhar com diretores e atores interessantes que admiro. Isso é sempre o que me impulsiona para cada projeto.

POPSUGAR Austrália: Você tem um grande público social. Como você se aproxima? Você vê isso como uma enorme responsabilidade?

Phoebe: É uma saída criativa e é uma plataforma. Eu tento equilibrar isso com a promoção de coisas que me interessam e trazer conscientização para certas instituições de caridade e certas coisas que eu acho que não estão recebendo a atenção que merecem. É como um pequeno diário e eu adoro tirar fotos, então é bom mostrar isso também.

POPSUGAR Austrália: Você diria que a mídia social é importante para os futuros atores?

Phoebe: Eu não penso assim. Eu acho que fui pega em estar em um show que era muito grande em um grupo demográfico específico e, portanto, a mídia social veio com ele. Eu não acho que você precisa para ser bem sucedido. A maioria dos atores que eu procuro não tem mídias sociais, mas eles também não estão alcançando garotas jovens, e meu show alcançou. E então eu acho que tem um pouco de responsabilidade nisso quando você está lidando com jovens garotas se inspiram em você, você tem a responsabilidade de ser autêntica.

POPSUGAR Austrália: Tem sido um grande ano em entretenimento com o #MeToo. Na sua opinião, o que mais precisa mudar? O que poderíamos estar fazendo melhor no setor?

Phoebe: Eu acho que tudo o que aconteceu no ano passado foi muito importante. O pêndulo tem que balançar um caminho para equilibrar, e eu acho que é isso que está acontecendo. Eu acho que é bom que as pessoas estejam conscientizando o quanto o sexismo casual não existe apenas nos sets, mas em qualquer ocupação. É fazer com que as pessoas que não necessariamente acham que têm o direito de se defender se posicionem, não importa quão grande ou pequena a forma como elas foram afetadas. Ser capaz de falar, encontrar um fechamento ou algum tipo de opção segura é realmente importante.

POPSUGAR Austrália: O que você acha da parte mais fácil e difícil de ser um ator?

Phoebe: Ter que se afastar da sua vida por longos períodos de tempo. Este é um projeto muito legal porque estamos aqui por três meses, o que é como um acampamento de verão. Quer dizer, a série que eu fiz foi 10 meses do ano, todo ano. Isso foi como, você mudou sua vida para algum lugar. Com isso, estou aqui apenas por três meses. A mais fácil? A comida grátis! [Risos]

Tradução e adaptação: Equipe PTBR.

Fonte: POPSUGAR Austrália

 

12