Seja bem-vindo ao Phoebe Tonkin Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Phoebe Tonkin. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. O Phoebe Tonkin Brasil é um site feito por fãs. Esse site foi feito apenas para postar notícias para pessoas que como nós, admira seu trabalho e seu jeito. O PTBR não tem nenhuma intenção de lucro.

O ano mal começou e já estamos cheios de mimos da nossa amada Phoebe Tonkin! Desta vez, a atriz realizou um belíssimo ensaio fotográfico para a revista australiana Stellar e ainda concedeu uma entrevista onde ela falou um pouco sobre sua carreira, vida pessoal e ativismo. Confira tudo abaixo:

Foi por volta dos 11 anos que algo chamou a atenção de Phoebe Tonkin, a atriz australiana, modelo e estrela aos olhos de qualquer pessoa com menos de 30 anos. Tímida e retraída, ela ainda pretendia se tornar jornalista quando crescesse.

Mas, um tanto ironicamente, havia algo no palco que a chamava atenção. Já treinada como dançarina, tendo aulas a partir dos quatro anos de idade, agora era o mundo do drama que a despertava interesse por cursos no Australian Theatre for Young People (ATYP) em sua cidade natal, Sydney.
“Eu nunca quis ser atriz”, diz Tonkin a Stellar. “Eu só queria contar histórias.” Ainda hoje, ela diz: “Se houver alguma maneira em que eu possa fazer isso, farei criativamente.”

Veja sua conta no Instagram, onde a atriz e ativista – ela é uma feminista apaixonada e uma ambientalista leal – compartilha com seus 5,4 milhões de seguidores tanto fotos suas e de seus amigos quanto notícias e atualizações sobre as causas que mais importam para ela.
“Quando você olha o Instagram como uma plataforma para alcançar as pessoas, é como ter um jornal”, explica ela. “Aproveito a oportunidade para compartilhar informações ou direcionar pessoas para alguma instituição de caridade ou organização. Seria muito estranho ter esse nível de responsabilidade e não usá-lo para um bom propósito.”

A carreira de atriz de Tonkin decolou apenas alguns anos depois que ela se matriculou nos cursos da ATYP. Quando ela tinha 15 anos, ela conseguiu um dos papéis principais na série fantasiosa sobre sereias, ”H20: Just Add Water” da Network 10 e isso acabou provando ser um trampolim para sua mudança para os Estados Unidos, onde ela estrelou o drama de TV adolescente, ”The Vampire Diaries” e seu spin-off, ”The Originals”.
Os projetos a levam para casa regularmente, e ela esteve na Austrália no início deste ano – inclusive para uma sessão de moda com a Stellar em uma propriedade rural nos arredores de Adelaide.

A crise do incêndio florestal que dominou o início de 2020 mostrou-se especialmente difícil de ignorar. “Estar de volta em casa durante o verão foi incrivelmente emocional, mas também inspirador”, diz ela após refletir.
“É notável quanto dinheiro arrecadamos nesse curto período de tempo e ver como as pessoas realmente querem ajudar e apoiar umas às outras. Se [a tragédia] nos mostrou algo, é que ainda somos um país colaborador e solidário. Estou animada para mostrar outro lado da Austrália agora. Que ainda estamos fortes.”
E se Tonkin sentiu uma onda de orgulho ao ver o país se unir em apoio àqueles que mais precisavam, ela também ficou mais do que feliz em dizer sim quando a icônica marca australiana R.M. Williams a convocou para ser sua primeira embaixadora feminina.
Ela espera que sua associação com eles também ajude, pois o país trabalha para mudar sua narrativa internacional após um verão turbulento.
“Quero dizer, eu costumava usar botas minúsculas da R.M. Williams quando eu era muito pequena na fazenda da nossa família”, diz Tonkin. “Eu cresci conhecendo a marca. Estou realmente empolgada e honrada por fazer parte de uma peça icônica da identidade australiana.”
Ajuda que a linha tenha uma reputação de durabilidade – principalmente porque Tonkin, que também exerceu a função de embaixadora da marca Chanel nos últimos dois anos, pretende viver da maneira mais sustentável possível.
“Eu nunca fui alguém que gosta de possuir muitas coisas”, diz ela. “Sou alguém que viaja com tanta frequência que fisicamente não posso. Quando escolho comprar algo, não quero substituí-lo. Eu quero ter coisas que durem.” E as botas da R.M. Williams, ela diz, “são feitas para durar. Elas são feitos para viajar e explorar, e há algo realmente forte sobre eles.”
“Ouvi histórias sobre como as pessoas enviaram suas botas de volta 45 anos depois para serem arrumadas. Esse é um tipo incrível de reciclagem, em vez de apenas comprar mais”, diz ela. “Espero passar minhas botas da R.M. Williams aos meus filhos, e eu sei que elas estarão por lá.”

De qualquer forma, Tonkin já tem uma vantagem como garota propaganda da Austrália. Juntamente com nomes como Margot Robbie, Teresa Palmer e Lara Worthington, ela foi nomeada pela mídia como uma das “It girls”, que são a resposta milenar para Nicole, Cate e a “gumleaf mafia” de Toni, de meados ao final dos anos 90.
E, embora Tonkin não considere isso necessariamente ruim, ela quer ressaltar que nem todos os seus amigos começaram em Home and Away ou Neighbours.
“Na verdade, tento não ter muitos amigos australianos quando estou nos Estados Unidos”, diz Tonkin (que, de fato, teve um papel de sete episódios em Home And Away como dona de uma loja de animais gótica).
“Mas ter um monte de amigas atrizes australianas era importante para mim, especialmente quando eu estava começando, para me ajudar a me enturmar. Porque você não conhece ninguém. Você não sabe como obter uma licença ou como encontrar um ginecologista. Tenho sorte de ainda estarem na minha vida.”
Ela tem trabalhado com mais firmeza na Austrália nos últimos dois anos, assumindo um papel fundamental na minissérie SBS Safe Harbour e continuando a trabalhar na série Bloom (que retorna no próximo mês), ao lado de Jacki Weaver e Bryan Brown.

Mas, ela diz a Stellar, ela teve que se apoiar para chegar aqui. “Estrelar em um programa infantil tornou difícil ser levada a sério quando adulta. Acho que na Austrália é um pouco mais difícil convencer os diretores de elenco de que tenho 30 agora…”
Talvez por isso ela tenha optado por ficar atrás da câmera também. No ano passado, Tonkin escreveu e dirigiu
”Furlough”, seu primeiro curta-metragem, parcialmente inspirado no marido, ator e diretor de sua boa amiga, Palmer, Mark Webber.
“Eu a vejo criando um nome para si mesma por trás das câmeras como uma das cineastas mais interessantes do setor”, diz Palmer à Stellar. “Ela está de olho no meio e tem uma riqueza de experiências para criar histórias significativas que encontram um público”.
Quanto a Tonkin, ela fica feliz em continuar brincando de aluna – e diz que sabe que, embora do lado de fora possa parecer que ela deu certo, ainda há muito o que aprender. “Gostaria de pensar que sou uma boa filha, uma boa funcionária, uma boa irmã e uma boa amiga.” Mas ela também está muito feliz em admitir: “Eu acho que qualquer mulher de 30 anos ainda tem muito para descobrir.”

REVISTAS – SCANS > 2020 > STELLAR MAGAZINE AUSTRALIA (MARCH)
001~8.jpg001~8.jpg001~8.jpg001~8.jpg
ENSAIOS FOTOGRÁFICOS – PHOTOSHOOTS > 2020 > STELLAR MAGAZINE AUSTRALIA
002~10.jpg001~9.jpg002~10.jpg001~9.jpg

2019 nem começou mas nós já amamos! Ontem, 22, veio ao público um novo ensaio fotográfico estrelado pela nossa atriz favorita, Phoebe Tonkin para a edição de janeiro da WHO Magazine. A musa realizou as fotos em Sydney, na Austrália e foram feitas pelo fotografo Jason Ierance. 

Além das belíssimas imagens da nossa amada Phoebe, ela também concedeu uma entrevista que você pode conferir abaixo:

É o dia após o AACTA Awards e Phoebe Tonkin está no set com uma quantidade de energia que deveria ser ilegal, particularmente porque ela teve uma grande noite se aproximando de suas co-estrelas de Safe Harbor.
“Um lábio vermelho brilhante ajuda”, ela diz à WHO.
A atriz de 29 anos é uma das melhores exiladas da Austrália, tornando-se conhecida em The Vampire Diaries, mas Tonkin não está deixando a fama chegar até ela.
Falando com a WHO, a atriz fala sobre seu mais recente projeto, Bloom, sua visão sobre a debacle dos refugiados na Austrália e exatamente por que ela se recusa a posar nua para ser a “garota gostosa”.
WHO MAGAZINE: Qual é a única coisa que você nunca fará na tela?
PHOEBE: Não há muita coisa que eu não faria. Eu acho que qualquer nudez ou ação sexual que é gratuita ou não faz sentido, eu sou um pouco… Eu realmente valorizo quando a nudez é necessária. Eu não acho que as pessoas fazem sexo segurando folhas ou se cobrindo – especialmente quando você está tentando mostrar algo real. Eu não acho que eu faria nudez para ser a “garota gostosa” ou para servir alguma coisa de algum homem. Eu não acho que eu faria isso, mas eu não sou contra nudez e sexualidade, se é pelas razões certas.
WHO MAGAZINE: Qual foi a sua audição mais memorável?
PHOEBE: Na verdade, houve uma, anos atrás, que eu cheguei lá e não consegui me lembrar das falas para salvar minha vida. E em vez de dizer tipo ”escuta, isso não está indo bem, eu realmente não sei as falas”, eu fingi que estava muito doente no meio disso. Eu estava tipo “Oh meu Deus!” Eu estava agachada e segurando meu estômago. Eu fiquei tipo “Eu sinto muito por fazer isso, mas eu vou vomitar, eu tenho que sair e ir embora”.
WHO MAGAZINE: Então você não conseguiu esse papel?
PHOEBE: Eu não consegui esse papel, não. [Risos]
WHO MAGAZINE: Você mostrou suas habilidades de atuação.
PHOEBE: Sim! A propósito, eles deveriam ter me dado o trabalho porque eles acreditaram que eu estava doente.
ENSAIOS FOTOGRÁFICOS – PHOTOSHOOTS > 2018 > WHO MAGAZI

Na tarde de ontem, 9, foi divulgado ao público que Phoebe Tonkin estará na capa da revista Harper’s Bazaar Austrália do mês de novembro! A atriz posou para fotos usando roupas da marca mundialmente conhecida, Chanel, e concedeu uma breve entrevista que você pode conferir traduzida abaixo junto com as fotos do photoshoot:

Phoebe Tonkin está tomando um café ghee e comendo um bolinho de banana no The Roadhouse, um café rústico em Byron Bay, quando BAZAAR liga. “Meu pai mora aqui e eu estou o visitando”, diz a atriz australiana baseada em Los Angeles. “Eu estive em Melbourne nas últimas semanas e não é o melhor clima agora, eu só queria nadar, curtir um pouco de sol e apenas sair”.

A atmosfera descontraída e ensolarada da cena moderna de Byron Bay é o mais longe que você pode obter do projeto em que Tonkin vem trabalhando em Melbourne: uma série dramática, sobrenatural e sombria chamada Bloom. A atriz de 29 anos, ao lado de duas vezes indicado ao Oscar, Jacki Weaver, Bryan Brown e Ryan Corr (Holding the Man, Hacksaw Ridge). A história se passa em uma cidade do interior, um ano depois de uma inundação devastadora ter matado cinco moradores locais. Sobreviventes descobriram cinco plantas misteriosas crescendo onde seus vizinhos se afogaram, cada um produzindo bagas que têm o poder de restaurar a juventude. Mas há uma pegadinha. A vitalidade renovada é passageira, portanto a cidade deve proteger seu suprimento a todo custo. Tonkin está chamando isso de “um conto de fadas sombrio”. “Mesmo que exista um elemento que não é deste mundo, tudo dos relacionamentos aos personagens muito reais e relacionáveis”, explica ela. “Ainda é muito australiano, mas acho que é algo que também será muito bem internacional”.

Dirigido pelo aclamado diretor norte-americano John Curran (Tracks, Chappaquiddick, Praise), Bloom explora a série sci-fi de pensamento-zeitgeist global, como Stranger Things, Black Mirror, Incorporated, Dark e Altered Carbon, tornando-o uma das mais badaladas estreias do ano. “O que você sacrifica?” “São questões realmente interessantes sobre nossos desejos e vitalidade: quais são os custos?” Tonkin continua. “Ele pede coisas que precisamos nos perguntar todos os dias sobre o modo como consumimos, como usamos as mídias sociais, as pessoas que admiramos e se é um mundo muito superficial”.

Tonkin e Weaver compartilham um personagem em Gwen, com Tonkin interpretando-a depois que sua juventude foi restaurada. Tonkin tem apenas quatro dias de filmagem quando fala com a BAZAAR. “Eu não trabalhei com [Weaver] ainda, mas eu obviamente assisti muito do trabalho dela”, diz ela. “Eu venho quando Gwen foi rejuvenescida após ela comer este tipo mágico de baga. Há elementos nela que são de caráter dela [Weaver] e outros elementos que são sobrenaturais. [A usina] tem afetado o corpo e a mente de Gwen, então ela é não inteiramente a mesma pessoa que ela era quando era jovem no mundo real “.

Phoebe não estranha os gêneros sobrenaturais e fantasia. Ela chamou a nossa atenção em 2006 quando interpretou uma adolescente que virou sereia na série australiana H2O: Just Add Water. Ela fez sua estreia nos EUA em 2011 como uma jovem bruxa na série dramática sobrenatural The Secret Circle. Em 2012, ela se juntou ao elenco de The Vampire Diaries, o que levou a um papel em sua série spin-off, The Originals. Tonkin rompeu com seu nicho de personagem de fantasia este ano, quando conquistou o papel principal em Safe Harbor, um drama da SBS sobre pessoas que buscam asilo, e depois seguiu com um papel na série dramática americana The Affair. Embora ainda tenha elementos sobrenaturais, Bloom faz parte da estratégia de Phoebe Tonkin para transformar percepções e se estabelecer como uma atriz séria em casa e no exterior.

“Quando você faz uma série como Vampire Diaries por tanto tempo, você está em um certo demográfico”, diz ela. “Foi incrível e sou grata, mas agora estou animada para fazer algo diferente. Eu preciso flexionar músculos diferentes, ser desafiada e ter uma nova experiência como atriz. Eu quero fazer algo fora da caixa – não provar alguma coisa, mas porque é isso que eu gravito quando estou escolhendo algo para assistir”.

O amor de Tonkin pelo filme floresceu enquanto ela crescia em Mosman, na costa norte de Sydney; ela e sua família iam ao cinema todas as quintas à noite. “Eu amava o cinema, mas também amava a atmosfera e o ritual de ir ao cinema”, diz ela. “As lembranças de chegar lá e chegar em casa e falar sobre o filme depois – é algo que todos nós vinculamos e realmente gostamos.” Na idade de 12 anos, ela encontrou alívio da timidez ao se conectar com outras crianças criativas no Australian Theatre for Young People. “Foi essa pequena comunidade secreta de crianças que não eram da minha escola”, lembra Phoebe. “Era apenas um lugar para ir para fugir e se tornar outra pessoa e aprender sobre algo que não estava no currículo. Eu amei a comunidade que foi criada.”

Hoje, a tribo de Phoebe Tonkin em Los Angeles inclui amigos próximos e companheiros australianos como Lara Worthington, Bella Heathcote, Margot Robbie e Teresa Palmer. “Eu gosto de estar perto de muita gente sendo criativa e inspirando uns aos outros”, diz ela, “mas com amigos da indústria, tento não falar sobre trabalho, empregos ou audições. Falamos sobre todo o resto, e eu tento ter muito de pessoas para a minha casa ou fazer viagens para lugares do norte da Califórnia como Ojai “. Tonkin narra essas viagens no Instagram, onde você verá fotos dela na praia com sua melhor amiga, a estilista Matteau Ilona Hamer (Phoebe Tonkin lidera a marca de moda praia desde 2015); no show da Chanel em Paris (Phoebe é uma embaixadora da marca de luxo francesa); no tapete vermelho ou no set. Mas entre as fotos chamativas, sua grade é recheada de exortações sobre Time’s Up, controle de armas, #BlackLivesMatter e direitos dos imigrantes.

“Se as meninas e os meninos mais novos que me seguem estão consumindo a mídia, estou tentando vendê-los sobre as séries em que estou, acho que é justo compartilhar com eles outro lado do mundo, e talvez ficar animada e inspirada sobre outra coisa também “, explica Tonkin.

Ela também é sincera sobre as pressões que as mulheres enfrentam quando se trata de imagem corporal, e como as mídias sociais podem promover uma alimentação extremamente limpa e ortorexia: evitar obsessivamente alimentos que o sofredor considera prejudiciais. “Eu acho que as pessoas podem realmente abusar da palavra ‘saudável‘”, diz ela. “As pessoas olham para atrizes nas mídias sociais e pensam: ‘Ah, ela é tão saudável, eu queria ser assim’. É muito bom cuidar de você – e eu amo boa comida no meu corpo – mas também gosto de equilibrar. A palavra “saudável” significa conforto e felicidade mais do que apenas sucos verdes e yoga, e há outra parte da saúde que é sobre se conectar com a natureza, estar ciente de nossa pegada ambiental e meditar, que é algo que eu, em termos de imagem corporal, tento não ser um santo graal de saúde e bem-estar – é por isso que tento não falar da maneira como me alimento, mas algo como cursos de meditação, para mim, que para mim, ajuda. Depois de postar sobre Laura Poole (técnica de meditação), muitas pessoas com depressão tentaram aprender mais sobre meditação, é assim que eu acho que posso inspirar as pessoas, em vez de apenas tirar uma selfie com um smoothie“.

No filme de 1999, Girl, Interrupted, a personagem de Angelina Jolie, Lisa, diz: “Se eu pudesse ter qualquer emprego no mundo, seria uma Cinderela profissional“. O título do trabalho de fantasia ressoou tanto com Tonkin que ela se apropriou dele para descrever sua mistura surrealista de glamour e determinação. “Isso descreve totalmente minha vida às vezes“, diz ela. “Algumas semanas atrás eu tive a viagem mais incrível com minhas amigas, ficando em uma casa incrível fazendo todas essas coisas incríveis, então na noite seguinte, eu estava hospedado em um albergue em Barcelona sozinha. Você começa a fazer toda essa diversão coisas, então o relógio bate meia-noite e você está de volta à sua vida normal “.

E com isso, ela vai aproveitar uma tarde normal em Byron Bay. “Vou deitar na praia, depois vou para casa e papai irá me levar para jantar”, diz ela.

FONTE

 

HARPER’S BAZAAR AUSTRALIA (NOVEMBER)
HARPER’S BAZAAR AUSTRALIA (NOVEMBER)

Phoebe Tonkin Brasil • Hospedado por Flaunt • Layout por Lannie D